Vazamentos de metano são 60% mais altos que o estimado nos EUA, diz estudo

Os vazamentos de metano na indústria do petróleo e gás dos Estados Unidos são 60% mais altos que a estimativa do governo, segundo um relatório alarmante publicado nesta quinta-feira, pelos efeitos que este gás tem no meio ambiente.

Estes vazamentos gerados pela indústria americana representam 13 milhões de toneladas de metano por ano, muito mais que as estimativas da agência americana do meio ambiente (EPA), segundo um relatório publicado na revista Science.

Os pesquisadores indicaram que os vazamentos, que chegam a 2,3% da produção bruta de gás americana, estão acima da taxa de 1,4% estimada pela EPA, suficiente para alimentar 10 milhões de casas com gás natural.

"Os cientistas descobriram um problema enorme, mas também uma grande oportunidade", declarou Steven Hamburg, cientista na ONG Environnemental Defense Fund e coautor do relatório.

"Reduzir as emissões de metano do setor de petróleo e gás é a forma mais rápida, a mais rentável de que dispomos hoje para desacelerar a taxa de aquecimento", acrescentou.

O gás natural perdido pelas fugas é equivalente a dois bilhões de dólares por dia, segundo esse relatório realizado por mais de 140 pesquisadores, em cooperação com 50 companhias de petróleo e gás, que deram acesso às suas áreas de produção e assistência técnica.

ksh/jm/faa/leo/lp/rsr/db/cc