Brasil espera que ato traga revogação da prática de separar crianças de seus pais

Em nota do Ministério das Relações Exteriores, o Brasil afirma esperar que a ordem executiva emitida na quarta-feira, 20, pelo presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, em relação aos imigrantes ilegais tenha como consequência a "efetiva revogação da prática de separação entre os menores e seus pais ou responsáveis".

"O governo brasileiro acompanha com muita preocupação o aumento de casos de menores brasileiros separados de seus pais ou responsáveis que se encontram sob custódia em abrigos nos Estados Unidos, o que configura uma prática cruel e em clara dissonância com instrumentos internacionais de proteção aos direitos da criança", diz a nota.

Ela informa, ainda, que a pasta orientou os consulados do Brasil a reforçar medidas que já estavam em curso. Eles deverão intensificar o mapeamento em abrigos para identificar eventuais novos casos, além de tornar mais frequentes as visitas aos menores. Os pais receberão orientação sobre ações legais para recuperar a guarda das crianças.

Também haverá mais campanhas de esclarecimento, alinhadas com os conselhos de cidadãos brasileiros, sobre os riscos de travessia pela fronteira. O Itamaraty vai ainda fortalecer a coordenação e o intercâmbio de informações com outros países "emissores de emigrantes".