Líder opositor convoca protesto na Rússia no dia 1o. de julho

O principal opositor ao Kremlin, Alexei Navalny, convocou os russos para um protesto nas ruas no dia 1 de julho contra a mudança na idade de aposentadoria, mas apenas nas cidades em que não são disputadas partidas da Copa do Mundo.

"Sejamos honestos: o aumento da idade para aposentadoria, decidido por (o presidente russo Vladimir) Putin e (o primeiro-ministro Dmitri) Medvedev é um verdadeiro crime", afirmou o opositor no Instagram.

"Vamos protestar contra isto com todas as nossas forças", completou, ao informar que seus simpatizantes apresentaram pedidos de autorização para manifestações em mais de 20 cidades.

"Os pedidos foram apresentados apenas nas cidades em que não são disputadas partidos", como Tver e Yaroslav, a 200 e 300 km de Moscou, indicou Navalny.

A Copa do Mundo termina em 15 de julho e até lá o direito de manifestação enfrenta sérias restrições. Qualquer manifestação só pode acontecer em locais e horários previamente aprovados pelas autoridades nas cidades que recebem partidas.

Pouco antes do início da Copa, o governo anunciou uma ampla reforma para alterar esta herança da era soviética, quebrando assim um tabi que até agora o presidente Vladimir Putin evitava.

A idade para aposentadoria na Rússia foi estabelecida em 1932: 55 anos para as mulheres e 60 para os homens.

A reforma anunciada pelo primeiro-ministro Dmitri Medvedev prevê o aumento progressivo da idade para aposentadoria a partir de partir de 2019 até alcançar os 63 anos para as mulheres em 2034 e os 65 anos para os homens em 2028.

De acordo com os dados mais recentes do Banco Mundial, a expectativa de vida na Rússia é de 66,5 anos para os homens e de um pouco menos de 70 anos para as mulheres.

Navalny foi libertado na quinta-feira passada, depois de passar 30 dias detido por ter organizado um protesto dois dias antes da posse de Putin para o quarto mandato.

all/gmo/phv/pa/mb/fp