A batalha do Brexit volta ao Parlamento

O governo britânico enfrenta um novo teste esta semana para seguir adiante, nos termos que deseja, com a lei que permitirá ao país sair da União Europeia (UE).

A Câmara dos Lordes (alta), dominada por partidários da permanência do Reino Unido o mais próximo possível da UE, examina novamente nesta segunda-feira a lei Brexit, antes de devolver o texto na quarta-feira à Câmara dos Comuns.

Na semana passada, a primeira-ministra Theresa May superou uma votação nos Comuns ao conseguir que os deputados revogassem uma emenda dos Lordes que reclamava que o Reino Unido se alinhasse com a união alfandegária europeia.

Além disso, May convenceu os deputados conservadores pró-UE que rejeitassem outra emenda, que teria permitido ao Parlamento votar sobre o acordo final com Bruxelas, e desta maneira impedir uma saída.

Estes deputados rebeldes acusaram May de não ter cumprido a promessa feita em troca do apoio e é muito provável que os Lordes apresentem novamente a emenda nesta segunda-feira.

A primeira-ministra terá que apagar incêndios mais uma vez nesta disputa parlamentar, na qual está em jogo a tutela das negociações com Bruxelas.

"O Parlamento não pode atar as mãos do governo nas negociações", disse May à BBC.

A reunião de cúpula dos líderes europeus de 28 de junho está cada vez mais próxima e May não quer viajar a Bruxelas enfraquecida por uma derrota no Parlamento.

A lei do Brexit encerrará formalmente a adesão do Reino Unido à UE e incorporará na legislação britânica 40 anos de leis europeias.

rjm-al/es/fp