Juiz nega liberdade aos presos nomeados ministros regionais catalães

O juiz Pablo Llarena do Supremo Tribunal espanhol rejeitou nesta terça-feira (22) a liberdade dos dois separatistas em prisão preventiva designados como ministros regionais pelo novo presidente catalão Quim Torra, e cuja nomeação foi bloqueada pelo governo central.

De acordo com a nota divulgada pelo Tribunal, "o juiz Llarena nega a liberdade provisória para Josep Rull e Jordi Turull para tomar posse como conselheiros (ministros regionais) em razão do risco de reiteração criminosa".

Esta decisão supõe um novo inconveniente ao presidente regional Quim Torra porque, de acordo com os regulamentos, a nomeação dos membros do governo "tem efeito a partir da posse", à qual não poderão comparecer.

Ex-ministros do governo de Carles Puigdemont, destituído em outubro após a declaração de independência de 27 de outubro, Rull e Turull são membros do Parlamento regional, mas estão em prisão preventiva desde o final de março pelos crimes de rebelião, desobediência e desvio de fundos.

Apesar disso, Torra os nomeou no sábado como ministros de seu Executivo, juntamente com outros dois ex-colegas também perseguidos pela Justiça espanhola que estão atualmente na Bélgica.

Percebendo esta decisão como uma "nova provocação", o Executivo espanhol de Mariano Rajoy bloqueou a formação do novo governo, ao adiar a publicação do decreto de nomeação no Diário Oficial, passo essencial para a posse.

Com essa manobra, o governo central também manteve na prática a tutela imposta à região, após a tentativa fracassada de independência.

dbh/pmr/age/mr/tt