Investigam nos EUA raro ataque de puma que deixou um morto

Funcionários do departamento de vida silvestre do estado americano de Washington investigavam nesta segunda-feira (21) as causas do ataque de um puma a dois ciclistas no fim de semana, que deixou um morto e um ferido grave.

As autoridades relataram que o felino que atacou os dois ciclistas depois de espreitá-los era um macho de três anos, que parecia "raquítico", com peso aproximado de 45 quilos, enquanto um animal saudável deveria pesar uns 20 quilos mais.

"Estava mais magro que o normal", disse Alan Myers, do Departamento de Pesca e Vida Selvagem, ao jornal Seattle Times.

O funcionário contou, ainda, que serão feitos exames no cérebro do animal, abatido depois do ataque, para verificar se sofria de alguma doença.

Isaac Sederbaum, de 31 anos, o ciclista que sobreviveu ao ataque, contou às autoridades que ele e seu amigo, S.J. Brooks, de 32 anos, pedalavam por uma trilha remota em Cascade Mountain quando notaram que o puma, também conhecido como leão da montanha, os espreitava.

As autoridades contaram que os dois homens agiram de forma correta e tentaram afugentar o animal, e um deles chegou a arremessar sua bicicleta no animal. O animal saiu correndo, mas retornou e se lançou sobre a cabeça de Sederbaum.

"O puma pôs sua cabeça entre as mandíbulas e o sacudiu violentamente", contou Myers ao Times. Nesse momento, Brooks saiu correndo e o puma soltou Sederbaum e foi atrás dele.

Em seguida, a polícia de vida selvagem encontrou o animal atirado sobre o corpo de Brooks.

Os pumas são comuns em Washington e, à medida que os seres humanos invadem seu território, os ataques se tornam mais frequentes. No entanto, o ataque mortal de sábado foi o primeiro registrado no estado em 94 anos.