Após eleições, Trump restringe compra de ativos da Venezuela

Casa Branca não reconhece votação no país latino

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, assinou nesta segunda-feira (21) uma ordem que limita as possibilidades de o governo da Venezuela vender ativos no mercado financeiro. 

Na prática, trata-se de uma nova sanção contra o país latino, resultado das eleições do último domingo (20), que deram mais seis anos de mandato para Nicolás Maduro e são consideradas "falsas" pela Casa Branca.    

A ordem executiva assinada pelo presidente dos Estados Unidos impede que cidadãos norte-americanos se envolvam em operações de compra e venda de créditos ligados a petróleo e outros ativos venezuelanos. "O decreto fecha outra estrada que era usada para a corrupção. Ele nega aos dirigentes venezuelanos corruptos a possibilidade de valorizar e vender ativos públicos em troca de propinas", disse uma fonte do governo.