Cuba identificou 20 cadáveres de acidente aéreo

Cuba identificou até este domingo 20 dos 110 mortos do acidente aéreo ocorrido na sexta-feira, enquanto recebia a solidariedade de várias partes do mundo.

"Já são 20 identificados", informou o diretor do Instituto Médico Legal, Sergio Rabel, em entrevista coletiva neste domingo.

Ele acrescentou que "estamos estimando em cerca de um mês o tempo que levará as investigações". Conforme as vítimas vão sendo identificadas, são entregues às famílias.

Um Boeing 737-200 alugado pela Cubana de Aviación caiu ao meio-dia de sexta-feira quando acabava de decolar do aeroporto internacional da capital cubana para Holguín (leste). Ele transportava 113 pessoas a bordo, segundo o governo.

O desastre causou a morte de 110 pessoas: 99 cubanos, seis tripulantes mexicanos e cinco estrangeiros: um casal argentino, uma mexicana e dois saharauis.

Três mulheres cubanas sobreviveram ao acidente e estão em estado crítico, segundo as autoridades do hospital "Calixto García", onde estão internadas.

Numerosos governos e personalidades enviaram mensagens de condolências e solidariedade.

"Muitas mensagens vieram do exterior, eu diria de todos os cantos do mundo, com grande respeito e também com expressões de solidariedade", indicou o presidente Miguel Díaz-Canel, em declarações transmitidas pela televisão cubana neste domingo.

O secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, transmitiu as suas mais profundas condolências às famílias das vítimas, ao povo e ao governo de Cuba.

Os governos do Chile, Bolívia, Panamá, Costa Rica, El Salvador, Brasil, Peru, Venezuela e Colômbia, entre outros, também enviaram mensagens, segundo a agência de notícias Prensa Latina.

Autoridades cubanas, especialistas internacionais, especialistas da companhia mexicana Damojh (Global Air), proprietária da aeronave, e da Boeing (fabricante), continuam a busca pela segunda caixa-preta, após a localização de uma no sábado, para determinar as causas do desastre.

Cuba permanece em luto oficial decretado pelo Conselho de Estado desde às 6h00 de ontem até as 00h00 deste domingo.

cb/lp/mr