Os principais ataques israelenses na Síria desde 2013

Nos últimos anos, e especialmente desde 2017, Israel realizou uma série de ataques na Síria, um país em guerra, contra alvos do regime de Bashar al-Assad ou de seus aliados, o Hezbollah libanês e o Irã.

- 2013 -

- 30 de janeiro: A força aérea israelense bombardeia perto de Damasco uma base de mísseis terra-ar e um complexo militar onde acredita haver produtos químicos armazenados. Israel confirma implicitamente o ataque.

- 3 e 5 de maio: Ataques aéreos perto de Damasco contra um centro de pesquisa científica em Jamraya, um depósito de munição e uma unidade de defesa antiaérea, segundo uma fonte diplomática em Beirute. No total, 42 soldados sírios são mortos, de acordo com o Observatório Sírio para os Direitos Humanos (OSDH).

- 2014-2016 -

- 7 de dezembro de 2014: A Síria acusa Israel de dois ataques aéreos perto de Damasco.

- 19 de dezembro de 2015: Samir Kantar, um líder do Hezbollah que esteve na prisão em Israel, morre em um ataque aéreo nos arredores de Damasco, segundo o Hezbollah.

- 7 de dezembro de 2016: Vários mísseis israelenses atingem as proximidades da base militar de Mazzé (arredores de Damasco), onde estão os serviços de informação da Força Aérea. O aeroporto foi atacado novamente em janeiro de 2017.

- 2017 -

- 17 de março: Israel anuncia um ataque contra um carregamento de "armas sofisticadas" perto de Palmyra destinadas ao Hezbollah.

- 27 de abril: A Síria acusa Israel de disparar mísseis contra uma posição militar do regime perto do aeroporto de Damasco. De acordo com o OSDH, um depósito de armas explodiu, provavelmente pertencente ao Hezbollah.

- 7 de setembro: Vários ataques aéreos deixam dois mortos em uma base militar no oeste da Síria.

- 22 de setembro: Vários aviões israelenses disparam foguetes contra um depósito de armas do Hezbollah perto do aeroporto de Damasco.

- 16 de outubro: O exército israelense destrói uma bateria de mísseis no leste de Damasco, respondendo ao disparo de um míssil sírio contra aviões israelenses em missão de reconhecimento no Líbano.

- 2 de dezembro: Vários mísseis caem na região de Kisweh, no sul de Damasco, de acordo o OSDH.

- Em 4 de dezembro, vários aviões israelenses atacam a região de Jamraya e armazéns de armas do regime e seus aliados, segundo o OSDH.

- 2018 -

- 9 de janeiro: Vários ataques aéreos e disparos de mísseis perto de Damasco contra depósitos de armas do Exército sírio e do Hezbollah (OSDH).

- 7 de fevereiro: A defesa antiaérea síria anuncia a destruição de mísseis israelenses contra uma posição militar perto de Damasco. Outros mísseis foram dirigidos contra um depósito de armas perto de Jamraya, de acordo com o OSDH.

- 10 de fevereiro: Depois de interceptar um drone vindo da Síria, Israel realizou vários ataques contra posições militares do regime e "iranianos". Perde um dos seus aviões.

- 9 de abril: Vários mísseis chegam à base militar T-4 na província central de Homs e matam 14 combatentes, sete deles iranianos. Irã, Síria e Rússia acusam Israel do ataque.

- Em 26 de abril, o ministro da Defesa de Israel, Avigdor Lieberman, diz que seu país evitará qualquer tentativa de "enraizamento militar" iraniano na Síria.

- 29 de abril: Pelo menos 26 combatentes, a maioria iranianos, são mortos por disparos de mísseis contra posições militares do regime, segundo o OSDH. Os alvos desses bombardeios, "provavelmente israelenses", foram um aeroporto militar em Aleppo (norte) e a 47ª Brigada em Hama (centro), onde há forças iranianas, segundo a ONG.

- 8 de maio: Um ataque noturno atribuído a Israel perto de Damasco mata 15 combatentes estrangeiros, incluindo oito iranianos. O ataque foi dirigido contra um depósito de armas da Guarda Revolucionária, o exército de elite do regime iraniano, no setor de Kiswe, segundo o OSDH. A agência síria Sana garante que o Exército sírio interceptou dois mísseis israelenses.

- 9 e 10 de maio: Dezenas de foguetes são disparados da Síria em direção a parte das Colinas de Golã ocupada por Israel, de acordo com o OSDH. O Exército israelense afirma ter replicado, destruindo quase toda a infraestrutura iraniana na Síria.

Os confrontos entre Israel, o regime sírio e o Hezbollah são frequentes no Golã. Israel ocupa desde 1967 cerca de 1.200 km2 da região, que anexou em 1981, uma decisão não reconhecida pela comunidade internacional. Cerca de 510 km2 seguem sob controle sírio. Israel e Síria ainda estão tecnicamente em guerra.

acm/hj/pc/zm/mr