Caso de racismo no Starbucks acaba com indenização de US$ 1

Rede também doará fundos para programa de empreendedorismo

O caso de racismo na rede de cafeterias Starbucks, em que dois homens negros foram presos nos Estados Unidos, foi encerrado com uma indenização de US$ 1.

    Além da quantia, Rashon Nelson e Donte Robinson receberão um financiamento de US$ 200 mil para um programa de formação de jovens empreendedores.

    O caso aconteceu em abril, em uma unidade na Filadélfia. Nelson e Robinson aguardavam uma terceira pessoa no local e pediram para usar o banheiro.

    O responsável pela cafeteria suspeitou dos homens, que estavam no estabelecimento havia algum tempo e não pediam nada. Após solicitar diversas vezes para eles saírem, chamou a polícia.

    Os dois foram presos sob acusação de "causar distúrbios" e "invadir" o café. A situação gerou polêmica no país, com diversos protestos pedindo boicote à rede.

    Em resposta, o Starbucks anunciou o fechamento de todas as suas lojas nos EUA, no dia 29 de maio, para treinamentos contra a discriminação racial.