União Europeia leva a sério as acusações britânicas contra a Rússia

Os ministros das Relações Exteriores da União Europeia (UE) condenaram nesta segunda-feira o envenenamento de um ex-espião russo no Reino Unido e afirmaram que levam a sério as acusações britânicas contra a Rússia.

"A UE leva extremamente a sério a avaliação do governo britânico de que é muito provável que a Federação Russa seja responsável", afirmaram os 28 ministros em um comunicado publicado durante uma reunião em Bruxelas.

Os ministros indicam que estão "indignados com o uso ofensivo de um agente neurotóxico de qualidade militar, de um tipo elaborado pela Rússia, pela primeira vez em mais de 70 anos em solo europeu". 

"O uso de armas químicas seja por quem for, independente das circunstâncias, é totalmente inaceitável e representa uma ameaça para nossa segurança", advertem no comunicado.

Os ministros exigiram ainda que a Rússia "responda urgentemente às perguntas formuladas pelo Reino Unido e pela comunidade internacional e que informe imediatamente, integralmente e totalmente sobre seu programa Novichok à OPAQ", a Organização para a Proibição das Armas Químicas. 

"A UE permanecerá muito atenta a este assunto e a suas implicações.

Especialistas internacionais comparecerão nesta segunda-feira ao Reino Unido para analisar a substância utilizada para envenenar o ex-espião russo Serguei Skripal, de 66 anos, e sua filha Yulia, 33. Um policial britânico também foi envenenado ao socorrer as vítimas.