Kremlin considera imperdoável dizer que Putin ordenou envenenar ex-espião

O Kremlin considerou nesta sexta-feira  imperdoável assinalar o presidente Vladimir Putin como responsável pelo envenenamento de um ex-espião russo em solo inglês, como acusou o chanceler britânico Boris Johnson.

"Qualquer menção ou referência a nosso presidente nada mais é do que escandalosa e imperdoável em termos de etiqueta diplomática", declarou o  porta-voz do Kremlin, Dmitri Peskov, citado pelas agências de notícias russas.

Peskov reagiu assim às declarações de Boris Johnson que afirmou que o presidente Putin ordenou o uso do agente neurotóxico contra Serguéi Skripal.

"Pensamos que é muito provável que se trate de sua decisão ordenar o uso e um agente neurotóxico nas ruas do Reino Unido, nas ruas das Europa, pela primeira vez desde a Segunda Guerra Mundial", assegurou Johnson.