Prefeita americana renuncia por escândalo após romance com guarda-costas

A primeira mulher a se tornar prefeita de Nashville, a capital da música country nos Estados Unidos, Megan Barry, renunciou nesta terça-feira (6) depois de se declarar culpada de uma acusação vinculada com uma relação amorosa com seu guarda-costas. 

A democrata, de 54 anos, estava tentando sustentar sua vida política desde que admitiu em janeiro o romance extraconjugal de dois anos com o chefe de sua segurança pessoal. 

"Meu tempo como sua prefeita acaba hoje", anunciou Barry em uma breve coletiva de imprensa que, antes deste escândalo, foi considerada uma estrela em ascensão de seu partido. 

Megan Barry teve que enfrentar várias investigações desde que o assunto foi revelado. 

O guarda-costas, Robert Forest, renunciou ao departamento de Polícia, mas Barry insistiu que não havia cometido nenhuma falta profissional e, após assegurar que a relação havia acabado, disse que não deixaria o cargo. 

Entretanto, persistiam perguntas sobre o aumento no pagamento de horas extras do agente durante o período de sua relação amorosa, particularmente quando ambos realizavam viagens oficiais juntos.

No tribunal, o procurador disse ao juiz que Barry havia feito com que "os fundos da cidade fossem gastos ilegalmente em favor do senhor Robert Forest". 

Quando o juiz perguntou se as acusações eram certas, Barry simplesmente respondeu: "sim, senhor".

Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.
Saiba mais