'Herói' do Costa Concordia não consegue se eleger na Itália

Gregorio De Falco era candidato ao Senado pelo M5S

O comandante da Capitania dos Portos da Itália Gregorio De Falco, conhecido mundialmente por sua atuação no naufrágio do navio Costa Concordia, não se elegeu como senador.

Candidato pelo partido antissistema Movimento 5 Estrelas (M5S), De Falco, autor da frase "Vada a bordo, cazzo" ("Volte a bordo, car..."), não conseguiu surfar na onda de apoio da legenda mais votada do país e ficou apenas em terceiro lugar no distrito uninominal de Livorno, com 27,05% dos votos.

O comandante foi superado pela candidata de centro-esquerda Silvia Velo (30,51%) e pelo empreendedor Roberto Berardi, apoiado pela coalizão de direita (33,23%) e consagrado como vencedor da disputa - nos distritos uninominais, apenas o postulante mais votado é eleito.

De Falco era uma das estrelas do M5S para as eleições de 4 de março. Em janeiro de 2012, ele ganhara notoriedade no mundo inteiro após a divulgação de uma gravação que o mostrava exigindo, em vão, que o capitão do Costa Concordia, Francesco Schettino, condenado mais tarde a 16 anos e um mês de prisão, voltasse ao navio para comandar sua evacuação. A tragédia deixou 32 mortos.

Durante a campanha, De Falco foi acusado de violência doméstica contra sua esposa e sua filha, mas ele se diz inocente. A própria mulher não quis formalizar a denúncia.