Estudantes marcham na Florida contra posse de arma nos EUA

Movimento #NeverAgain tenta evitar novos massacres em escolas

Centenas de estudantes da escola de Parkland, na Florida, alvo de um massacre na semana passada, saíram às ruas nesta quarta-feira (22) para marchar por um controle de armas mais rígido nos Estados Unidos. 

Os estudantes viajaram nesta terça-feira, por sete horas em ônibus, de Parkaland à capital do estado, Tallahassee, para participar do protesto, que tenta exigir das autoridades leis mais sólidas para a posse de arma de fogo. 

Os jovens devem se reunir com representantes políticos, apesar da Assembleia Legislativa da Florida, de maioria republicana, ter votado nesta terça-feira por 71 a 36 contra uma moção que proibiria armas de assalto e carregadores de alta capacidade. 

Na semana passada, 17 pessoas morreram na escola Marjory Stoneman Douglas, em Parkland, quando o ex-aluno Nikolas Cruz, de 19 anos, abriu fogo contra os estudantes. O massacre incentivou a criação do movimento #NeverAgain, promovido por sobreviventes e familiares, para um controle maior de arma.    

Em um gesto inédito, o presidente dos Estados Unidos, o republicano Donald Trump, sinalizou nesta semana a possibilidade de apoiar um projeto de lei bipartidário no Congresso para endurecer a legislação ou proibir um dispositivo letal conhecido como "bump stocks", usado para modificar armas.