Morre palestino baleado durante protestos contra decisão de Trump sobre Jerusalém

Um jovem palestino que foi ferido durante confrontos com o exército israelense morreu no hospital, segundo afirmou Ashraf Qedra, ministro da Saúde da Faixa de Gaza, à Sputnik neste sábado (30).

"O palestino de 22 anos que foi ferido na sexta-feira (29) durante confrontos entre palestinos e o exército israelense morreu", disse Qedra. Segundo o ministro, no hospital havia mais quatro palestinos com ferimentos pesados.

O jovem identificado pelo nome de Jamal Mohammed Musleh vivia no campo de refugiados de Maghazi, conforme declarações do ministro. Jamal teria sido baleado no estômago durante os confrontos com o exército israelense.

Os confrontos entre palestinos e o exército israelense continuaram após a decisão de Washington de reconhecer a cidade de Jerusalém como capital israelita. O movimento desencadeou protestos em todo o Oriente Médio e críticas ao redor do mundo.

O número de palestinos feridos durante confrontos com o exército israelense na Faixa de Gaza, Cisjordânia e Jerusalém atingiu 303.

Em 6 de dezembro, o presidente dos EUA, Donald Trump, reconheceu oficialmente Jerusalém como a capital de Israel. Ele instruiu o Departamento de Estado a iniciar os preparativos para a transferência da embaixada dos EUA de Tel Aviv para Jerusalém. O movimento desencadeou protestos em todo o Oriente Médio e críticas em todo o mundo.

>> Sputnik