Piemonte também quer abrir negociação por autonomia na Itália

Região seguirá Lombardia, Vêneto e Emília-Romana, todas no norte

A região do Piemonte, no norte da Itália, anunciou nesta quarta-feira (27) que também pedirá a abertura de negociações com o governo nacional para ampliar sua autonomia.

No entanto, segundo o governador Sergio Chiamparino, ele não seguirá o caminho do plebiscito, adotado pelo Vêneto e pela Lombardia, também na parte setentrional do país. "Tentaremos ver se, uma vez alcançada a estabilidade do orçamento, existem competências que possam ser transferidas do Estado para as regiões", disse.

De acordo com Chiamparino, neste ponto, o Piemonte também terá "as condições necessárias para se sentar à mesa de negociações".

Em 22 de outubro, o Vêneto e a Lombardia realizaram plebiscitos para pedir mais autonomia, quando 98% e 96% dos eleitores, respectivamente, apoiaram a causa.

As duas regiões são governadas pela legenda ultranacionalista Liga Norte, que faz oposição ao gabinete de centro-esquerda do primeiro-ministro Paolo Gentiloni, do Partido Democrático (PD).

Já Chiamparino também pertence ao PD e prefere abrir tratativas diretamente com Roma, sem a necessidade de uma consulta popular, o que é permitido pela Constituição.

Outra região que seguiu pelo mesmo caminho é a Emília-Romana, também governada pelo Partido Democrático. As negociações com Vêneto, Lombardia e Emília-Romana já começaram, mas não há prazo para sua conclusão.

O principal pleito das regiões é ter mais autonomia na gestão de seus recursos.