Evo Morales: 'Trump deve entender que ele não é o patrono do mundo'

O presidente da Bolívia, Evo Morales, criticou nesta terça-feira a decisão do governo dos Estados Unidos de reduzir o orçamento para as Nações Unidas (ONU) em US$ 285 milhões.

Através de sua conta no Twitter, Morales denunciou que "o império extorque e tenta comprar a consciência do povo". Ele também afirmou que o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, "deve entender que ele não é o patrono do mundo".

"Depois de sofrer uma rejeição ressonante de sua decisão imprudente de instalar sua embaixada em Jerusalém, os EUA reduzem o orçamento das Nações Unidas em US$ 285 milhões. O império extorque e tenta comprar a consciência dos povos. Trump deve entender que ele não é o patrono do mundo", escreveu.

As acusações do presidente boliviano decorrem da derrota sofrida pelos Estados Unidos na semana passada na ONU, quando 128 nações votaram contra sua decisão de reconhecer Jerusalém como a capital de Israel.

Em um tweet anterior, Morales também criticou a decisão da Guatemala de seguir os passos dos Estados Unidos, movendo sua embaixada de Tel Aviv para Jerusalém.

"Lamentamos que alguns governos vendam sua dignidade ao império por não perder as migalhas da USAID [ajuda dos EUA]", escreveu ele.

Sputnik