Após receber indulto, Fujimori pede 'perdão' para peruanos 

Na segunda-feira, milhares foram às ruas para protestar contra benefício

O ex-ditador peruano Alberto Fujimori pediu "perdão do fundo do coração" a todos os peruanos em um vídeo divulgado nas redes sociais nesta terça-feira (26). Ele ainda agradeceu ao "indulto humanitário" recebido ontem (25) do atual mandatário do país, Pedro Pablo Kuczynski.

"Minha profunda gratidão pelo passo complexo tomado pelo presidente e me cabe apoiar decididamente seu chamado de reconciliação", diz ainda o ex-mandatário. 

Protestos

Milhares de pessoas foram às ruas em Lima, capital do Peru, na segunda-feira (25) para protestar contra o indulto dado pelo presidente do país, Pedro Pablo Kuczynski, para Fujimori.

Os peruanos gritavam frases como "Não tem perdão" para o ex-presidente e carregavam fotos das vítimas da ditadura comandada por ele. Houve momentos de tensão durante as manifestações, com a polícia disparando gás e balas de borracha contra as pessoas.

Muitos ainda criticavam que o indulto foi dado após um acordo do atual presidente com a oposição, dominada pelo "fujimorismo", para salvar seu mandato.

De acordo com Kuczynski, o benefício não foi concedido por conta de um "acordo", mas porque uma junta médica informou que o ex-ditador tinha problemas de saúde "incuráveis e degenerativos".

Na última semana, o atual mandatário "escapou" de um processo de impeachment por conta do suposto pagamento de propina da construtora brasileira Odebrecht para Kuczynski.

Fujimori, que comandou o país entre 1990 e 2000, estava cumprindo uma pena de 25 anos de prisão por crimes contra a humanidade. Mas, por conta de sua idade e de problemas de saúde, o ex-mandatário de 79 anos estava em um hospital.

Com Ansa