Jovem morre durante protestos contra Maduro na Venezuela

Nas manifestaçãoes, ao menos outras 5 pessoas morreram

Em um dia intenso de protestos na Venezuela, um jovem morreu nesta quarta-feira (19) ao ser baleado na cabeça por um grupo de motoqueiros em San Bernadino, noroeste de Caracas. 

Segundo a mãe do adolescente, Carlos José Moreno era estudante de Economia da Universidade Central da Venezuela e "não estava envolvido no protesto", "só estava passando no lugar no momento dos disparos", contou a mulher aos jornalistas. 

A região era um dos pontos de concentração de uma marcha de oposição que pretendia chegar à Defensoria do Pública de Caracas e, segundo fontes, os motoqueiros eram pró-governo do presidente Nicolás Maduro. O grande ato desta quarta, considerado como "a mãe de todas as manifestações", é o sexto contra a administração do mandatário apenas neste mês de abril e acontece apenas um dia após o chefe de Estado ter anunciado a ativação de uma operação militar para "garantir a ordem interna" e impedir o suposto golpe militar que a oposição quer por em vigor. 

>> Mais uma jovem morre em protesto contra Maduro na Venezuela

Como os últimos protestos, os desta quarta tiveram confrontos entre os manifestantes e a polícia, que lançou gás lacrimogêneo, em vários pontos do país. Só em Caracas, os protestos tiveram 26 pontos de concentração. Chavistas e apoiadores de Maduro também organizaram seus próprios atos na capital. 

Os recentes, e super violentos, protestos na Venezuela já mataram ao menos 6 pessoas, contando com a morte do jovem nesta quarta, feriram dezenas e causaram a prisão e detenção de mais de 200.