'La Nación': Odebrecht recebe multa por violeção de contrato na Argentina

Empreiteira deve pagar R $ 32 milhões por atrasar construção de fábrica em Tigre

Matéria publicada nesta segunda-feira (17) pelo jornal argentino La Nación analisa que os principais setores privados da Lava Jato começam a deixar impressões digitais sobre irregularidades em obras públicas na Argentina. 

Segundo a reportagem a Odebrecht foi multada em US $ 32 milhões por violação de um contrato assinado em 2015. Aysa e Camargo Correa, também investigadas por corrupção no Brasil também foram denunciadas criminalmente pela empresa pública de águas naquele ano.

La Nación descreve que Irregularidades foram cometidas em contratos "gêmeos", concedidos pela Aysa, conforme relataram ao Ministério do Planejamento. A empresa pública aplicou uma multa enorme e arquivou a queixa-crime, apesar da forte pressão recebida pelo então secretário Jose Lopez, que ouviu atentamente os contratos desde o início das licitações.

Qual foi a razão para a multa? Odebrecht atrasou a construção da estação de tratamento de água Paraná de las Palmas, no Tigre. Os primeiros passos deveriam ter sido concluídos em março de 2014, mas não estavam prontos em maio 2015 conforme consta no contrato, então Aysa impôs uma multa diária de US $ 90,802 para a empresa que tornou-se depois de 15 meses, $ 32 milhões, de acordo com documentos oficiais obtidos pelo La Nación.

> > Multan a Odebrecht por $32 millones por irregularidades en una obra pública