'The Independent': Arcebispo britânico relaciona Trump e Brexit a fascismo

Líder da Igreja da Inglaterra participará da visita de Estado do Presidente dos EUA à UK

Matéria publicada nesta quarta-feira (15) pelo jornal britânico The Independent conta que o arcebispo de Canterbury relacionou o Brexit e a eleição de Donald Trump como presidente dos EUA ao fascismo. 

A reportagem afirma que Justin Welby, em um discurso ao Sínodo Geral, disse que havia "mil maneiras" de explicar a ascensão de líderes "em uma tradição nacionalista, populista ou mesmo fascista de política".

Entre os seus exemplos figurava o resultado do referendo da União Europeia, a vitória de Trump, o político holandês de extrema-direita Geert Wilders e Marine Le Pen, candidata presidencial da França e líder da Frente Nacional.

> > The Independent Archbishop of Canterbury Justin Welby links Donald Trump and Brexit to fascism

"Esse será o material de mil doutorados e nenhum consenso nos próximos 50 anos. Estamos no meio de tudo, e não vemos nem o destino nem o caminho. "

A denúncia do arcebispo Welby contra a política populista pode aumentar as dificuldades enfrentadas por Theresa May depois de convidar Trump para uma visita de Estado. Sendo ele o bispo mais velho da Igreja da Inglaterra, provavelmente figurará no planejamento da recepção do presidente americano. 

The Independent destaca que o maior protesto da história britânica está sendo planejado para coincidir com a chegada do bilionário.

Quando perguntado duas semanas atrás se daria as boas-vindas a Trump, o Arcebispo Welby disse que ficaria "muito feliz" de conhecê-lo e tentaria "persuadi-lo a mudar de opinião", acrescenta o diário.

Ele também condenou a "proibição muçulmana" do bilionário, dizendo que levaria a "resultados terríveis" e advertiu a Casa Branca a não "rejeitar" as comunidades.

Sobre o Brexit, o Arcebispo Welby disse que havia uma série de questões associadas a ele que havia discutido com especialistas.

"Em recente encontro com alguns economistas, analisamos o déficit da balança de pagamentos, muito grave e, em última análise, insustentável, os baixos níveis de investimento do sector empresarial, a quase ausência de financiamento para a pesquisa e o desenvolvimento, os terríveis níveis de aspiração educativa entre os que têm menos oportunidades, as crescentes exigências de cuidados para uma população mais velha a um grau que vai colocar forte pressão sobre o financiamento do governo, a falta de competências, a falta de progresso em direção aos nossos objetivos de uma economia neutra em carbono, e assim por diante. "

Mas o arcebispo Welby finalmente atingiu um tom otimista, dizendo que "existe agora uma escolha ampla e liberal para o futuro deste país", finaliza The Independent.