Itália encontra 7ª vítima de avalanche em hotel

Corpo é de uma mulher e já foi removido dos escombros

O Corpo de Bombeiros da Itália identificou e removeu nesta segunda-feira (23) o corpo da sétima vítima da avalanche que destruiu o hotel Rigopiano, no centro do país.

Os restos mortais pertencem a uma mulher e estavam em uma sala próxima à zona da cozinha e do bar, onde se concentravam a maior parte dos hóspedes da estrutura. Os socorristas ainda trabalham para remover dos escombros o corpo da sexta vítima - um homem -, encontrada no último domingo (22).

O balanço oficial contabiliza até o momento sete mortos e 11 sobreviventes, incluindo dois que escaparam da avalanche por estarem do lado de fora do hotel no momento da tragédia. Ainda falta encontrar 21 pessoas e identificar 23, número que também inclui os dois últimos corpos a serem achados.

O Rigopiano fica na cidade de Farindola, na região de Abruzzo, centro da Itália, em plena cordilheira dos Apeninos, espécie de espinha dorsal que corta a península no sentido norte-sul. Essa zona do país tem sido afetada por constantes terremotos desde o último dia 24 de agosto, quando um tremor devastou a cidade de Amatrice e deixou 299 mortos.

O Instituto Nacional de Geofísica e Vulcanologia (INGV), órgão responsável pela medição de atividades sísmicas na Itália, alertou que novos fenômenos até mais fortes podem acontecer, embora seja impossível prever quando.

O país está localizado sobre as placas tectônicas africana e eurasiática, que se chocam constantemente. Além disso, a primeira se move cerca de dois centímetros por ano rumo ao norte, movimentando a cordilheira dos Apeninos.