Ex-presidente da Gâmbia pode ter saqueado cofres públicos antes de fugir do país

O ex-presidente da Gâmbia, Yahya Jammeh pode ter esvaziado os cofres do governo antes de fugir do país, após ser deposto pela comunidade internacional em favor do vencedor das eleições de 2016, Adama Barrow.

O novo presidente afirmou em entrevista a uma TV de Senegal que os cofres públicos foram esvaziados antes de Jammeh deixar o país na noite de sábado (21). Cerca de 11 milhões de dólares teriam desaparecido.

Barrow afirmou que os "recursos estatais pareciam ter sido drenados quando o ex-líder Yahya Jammeh fugiu do país no final do sábado. De acordo com as informações que recebemos, não há dinheiro nos cofres, é o que nos disseram, mas no dia em que tomarmos posse, vamos esclarecer tudo", disse Barrow à emissora senegalesa RFM.

Em declarações à imprensa, Mai Ahamad Fatty, assessor do novo presidente, acusou Jammeh de ter enviado produtos de luxo em aviões de carga, durante as duas últimas semanas de governo. 

Jammeh se recusava a deixar a cadeira presidencial após 22 anos à frente do governo. Depois de ter seu país ocupado por forças senegalesas, com o apoio do Conselho de Segurança da ONU, ele negociou o exílio e deixou Gâmbia de avião sem identificação.