Human Rights: Trump e líderes europeus representam uma ameaça aos direitos humanos

A organização Human Rights Watch divulgou seu Relatório Mundial de 2017 no qual classificou o presidente eleito dos EUA, Donald Trump, e vários outros líderes mundiais como ameaças aos direitos humanos.

"A eleição de Donald Trump à presidência dos EUA após uma campanha fomentando ódio e intolerância, e o crescimento da influência de partidos políticos na Europa que rejeitam direitos universais, colocaram em risco o sistema de direitos humanos do pós-guerra", afirmou a Human Rights Watch em relatório publicado em seu site em 13 de janeiro. 

A organização também adverte o mundo para ficar em alerta contra a tirania no contexto de vitórias populistas. 

O relatório de 687 páginas aborda questões de direitos humanos em mais de 90 países, mas os EUA e Trump tiveram uma menção específica no artigo do diretor-executivo da organização, Kenneth Roth, intitulado "The Dangerous Rise os Populism" ("A Perigosa Ascensão do Populismo", em português), no qual ele argumenta que Trump chegou à vitória usando a "Política de intolerância".

"O aumento do populismo representa uma profunda ameaça aos direitos humanos", diz Kenneth Roth.

"Trump e vários políticos na Europa procuram o poder através do apelo ao racismo, xenofobia, misoginia e nativismo. Todos eles afirmam que o público aceita que violações dos direitos humanos sejam supostamente necessárias para garantir empregos, evitar mudanças culturais ou prevenir ataques terroristas. O desrespeito pelos direitos humanos oferece o caminho mais provável para a tirania", afirmou.