Merkel contraria CDU e se diz favorável a dupla cidadania

CDU havia apoiado retirada de benefício para bebês estrangeiros

A chanceler alemã, Angela Merkel, se disse contra uma alteração na lei sobre dupla cidadania, defendida por grande parte de seu partido, a União Democrata-Cristã (CDU).

"Não deveremos anular a dupla cidadania. Pessoalmente, acho errado revogar a lei. Não acredito sequer que devemos fazer uma campanha eleitoral sobre o duplo passaporte como já havia sido feito antes", disse a líder da CDU à emissora alemã "N-TV" nesta quarta-feira (7).

A fala da chanceler vai contra o que foi decidido através da aprovação de uma moção durante a reunião do partido realizada nesta terça-feira (6). Durante uma das votações, um texto que apoia a mudança na lei, apresentado pelo Partido Social-Democrata (PSD), foi aprovado por 319 votos a favor e 300 contra.

A ideia do PSD, que faz parte da base governista, é retomar a obrigatoriedade para que todos aqueles que tem pai e mãe estrangeiros e que nasceram na Alemanha optem por uma das duas cidadanias quando completarem 18 anos. Desde 2014, quem está nessa situação, não precisa mais optar e tem dupla cidadania.

A medida tem como alvo específico a grande comunidade turca no país, já que a lei anterior a 2014 sempre teve exceções para quem fosse filho de pais nascidos em países da União Europeia e da Suíça.