Justiça absolve ex-chefe da Defesa Civil por sismo em Áquila

Italiano respondia por homicídio culposo por terremoto de 2009

O juiz do Tribunal de Áquila, Giuseppe Grieco, absolveu na última sexta-feira (30) o ex-chefe da Defesa Civil da Itália Guido Bertolaso da acusação de homicídio culposo no terremoto ocorrido na mesma cidade em 6 de abril de 2009.    

Segundo o magistrado, Bertolaso "não cometeu o crime" porque "o fato não existe". O então chefe do departamento era acusado de homicídio culposo múltiplo pelas 309 mortes de cidadãos no terremoto daquele ano, um dos piores da história recente da Itália.    

Em particular, Bertolaso era acusado de "organizar uma operação midiática porque queremos tranquilizar as pessoas", como foi revelado em uma conversa grampeada com a assessora da entidade na região, Daniela Stati.    

Poucos dias antes do grande terremoto, Áquila vinha sofrendo com constantes tremores, alguns de forte intensidade. Por isso, Bertolaso convocou uma coletiva de imprensa, no dia 31 de março de 2009, com seis sismólogos para acalmar os moradores, a chamada "Comissão de Grandes Riscos".    

"É um ato de justiça porque esse processo sequer deveria ter começado", afirmou o advogado do ex-socorrista, Dilippo Dinacci.    

Já Bertolaso usou o Facebook para falar sobre a decisão.    

"Me curvo diante de um juiz que conseguiu manter-se imparcial mesmo com as pressões. Agradeço o advogado Filippo Dinacci pelo trabalho feito. Agradeço aos meus colegas e agradeço a todos aqueles que nunca pararam de acreditar em mim", disse o ex-chefe do departamento.    

- Sismólogos: Os sismólogos que estavam naquela coletiva de imprensa também haviam sido condenados em primeira instância, em 2012, a seis anos de prisão por homicídio e lesão corporal. Mas, em 2014, Giulio Selvaggi, Franco Barberi, Enzo Boschi, Mauro Dolce, Claudio Eva e Michele Calvi foram absolvidos pela Justiça.