Em nova polêmica, presidente filipino se compara a Hitler

Duterte disse querer matar milhões de viciados em drogas

O presidente das Filipinas, Rodrigo Duterte, voltou a criar polêmica nesta sexta-feira, dia 30, ao se comparar com o líder nazista Adolf Hitler.

Durante entrevista, o mandatário filipino relacionou a violenta campanha antidrogas de seu governo com a prática de extermínio de judeus pelo Nazismo e afirmou que ficaria "feliz em massacrar" viciados.

"Hitler massacrou três milhões de judeus. Há três milhões de viciados em drogas [nas Filipinas]. Eu ficaria feliz em matá-los", disse Duterte.

"Se a Alemanha teve Hitler, pelo menos nas Filipinas temos ...", prosseguiu, apontando para si mesmo. Esta não é a primeira vez que Duterte faz declarações polêmicas.

Desde que tomou posse, em maio deste ano, o filipino chama atenção por ser a favor de uma violenta repressão contra usuários de drogas e traficantes.

Segundo dados da União Europeia (UE), 3,5 mil pessoas já foram mortas no país por ter relações com o tráfico.

No início de setembro, Duterte também chamou atenção por ter chamado o presidente norte-americano, Barack Obama, de "filho da p...", quando questionado sobre possíveis críticas às execuções.

Recentemente, o filipino também ofendeu a União Europeia e mandou a direção do bloco ir "se f...", após rebater críticas.