Bangladesh mata 'mentor' de ataque a restaurante em Daca

Nove italianos morreram em ação terrorista reivindicada pelo EI

A polícia de Bangladesh anunciou neste sábado (27) ter matado a "mente" por trás do atentado terrorista ocorrido em um restaurante de Daca, no dia 1º de julho, que causou a morte de 22 pessoas - incluindo nove italianos.    

Segundo as autoridades, Tamim Chowdhury foi morto em uma operação em Narayanganj, que fica próxima à capital bengali. Os policiais informaram que eles começaram a atirar assim que foram recebidos a balas em uma casa na cidade.    

A localização de Chowdhury foi possível graças à prisão de um militante do grupo Jamaat-ul-Mujahideen Bangladesh (JMJ). O grupo é considerado terrorista pelo governo de Daca e o atual líder, que assumiu o comando dos jihadistas em 2005, teria feito uma parceria com os extremistas do Estado Islâmico (EI, ex-Isis). O grupo sírio-iraqueano, aliás, assumiu a autoria da ação.

Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.
Saiba mais