'DW': Morre aos 97 anos ex-presidente alemão Walter Scheel

Participou da política de reaproximação da Alemanha Ocidental com a Oriental e Leste Europeu

Matéria publicada nesta quarta-feira (24) pelo jornal alemão Deutsche Welle conta que o ex-presidente alemão Walter Scheel morreu nesta manhã aos 97 anos, após viver anos em um asilo na cidade de Bad Krozingen, nos arredores de Freiburg. Scheel foi presidente do FDP entre 1968 e 1974. De 1969 a 1974 foi ministro do Exterior e vice do chanceler federal Willy Brandt no governo de coalizão entre SPD e FDP. Entre 1974 e 1979, foi o quarto chefe de Estado da República Federal da Alemanha.

> > Deutsche Welle Der singende Bundespräsident - Nachruf auf Walter Scheel

Reportagem do Welle diz que nos últimos anos, Walter Scheel apresentava saúde debilitada e sofria de demência, raramente aparecendo em público. Nascido em 8 de julho de 1919 em Solingen, em 1946 ele se afiliou ao FDP, e foi deputado durante quase 25 anos. Serviu como ministro sob os chanceleres federais da União Democrata Cristã (CDU) Konrad Adenauer e Ludwig Erhard e, posteriormente, no governo do social-democrata Willy Brandt. Ao lado de Brandt, Scheel conseguiu aprovar controversos tratados com a Alemanha Oriental, contribuindo para dar novo rumo à política alemã para o Leste, baseada na reaproximação. Hoje considerada a base para a unidade alemã, na época essa política era controversa.

"Willy Brandt só conseguiu transformar o país porque tinha em Walter Scheel um parceiro apropriado", declarou o atual ministro do Exterior da Alemanha, Frank-Walter Steinmeier. "Desde muito cedo, ele entendeu a importância de uma política de integração europeia para o nosso país", escreveu o presidente alemão, Joachim Gauck, em mensagem de condolências à viúva Barbara Scheel.

Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.
Saiba mais