'DW': "Assumo toda a responsabilidade pela invasão do Iraque", diz Blair

Ex-primeiro-ministro britânico expressa arrependimento, se desculpa mas defende sua decisão

Matéria publicada nesta quarta-feira (6) pelo jornal alemão Deutsche Welle, conta que após a divulgação de um aguardado relatório sobre a guerra do Iraque, o ex-primeiro-ministro britânico Tony Blair disse que assume a responsabilidade pela decisão de levar o Reino Unido para a guerra. Blair afirmou que agiu de "boa fé" ao decidir participar da invasão ao lado dos Estados Unidos, acreditando ser o melhor para o Reino Unido. "Peço ao povo britânico que aceite que tomei a decisão porque pensei que fosse a coisa certa a se fazer."

Segundo a reportagem do DW, Blair, que foi primeiro-ministro entre 1997 e 2007, foi duramente criticado no chamado relatório Chilcot, que divulgou nesta quarta-feira os resultados de um inquérito iniciado há sete anos. Segundo o documento, o ex-líder britânico se decidiu pela opção militar no Iraque sem esgotar as alternativas pacíficas e sem bases legais satisfatórias.

"Assumo toda a responsabilidade por qualquer erro, sem exceção ou desculpa", disse Blair. Ao mesmo tempo, ele afirmou continuar acreditando que foi melhor derrubar o ex-ditador Saddam Hussein e que a invasão do Iraque não é a causa do terrorismo atual, seja no Oriente Médio, seja em qualquer parte do mundo.

O relatório afirma que Hussein não representava uma ameaça iminente em março de 2003 e que o caos no Iraque e na região deveria ter sido previsto, finaliza o periódico alemão.