Autoridades negam que Madeleine teria sido vista no Paraguai

Denúncia foi feita por suposto detetive particular

 Autoridades negaram que a menina britânica Madeleine McCann, que desapareceu em Portugal em 2007, quando passava férias com a família na região de Algarve, tenha sido vista no Paraguai, como denunciou a imprensa britânica recentemente. Segundo o jornal "Daily Mail", as denúncias de que ela estaria sob os cuidados de uma mulher na cidade de Areguá seriam falsas.    

O detetive particular Miraz Ullah Ali Isa disse recentemente ter provas de que a menina estaria no Paraguai. "Eu e minha equipe recebemos a informação de que Madeleine chegou ao país há um ou dois meses", disse em entrevista a um jornal paraguaio.    

O inspetor da Interpol no Paraguai, Luís Ignácio Arias, por sua vez, explicou que nunca foi contatado pelo suposto investigador e as autoridades locais não obtiveram até o momento nenhuma prova concreta de que a menina esteja no país.    

Madeleine McCann tinha três anos quando desapareceu de seu quarto de hotel. Seus pais, os médicos Kate e Gerry McCann, jantavam com amigos no momento do desaparecimento. Oficiais portugueses acreditam que estrangeiros foram responsáveis pelo sequestro e não pessoas da região.

Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.
Saiba mais