Itália confirma morte de criança em ataque em Burkina

Michel Santomenna tinha nove anos e foi vítima da Al Qaeda

O Ministério das Relações Exteriores de Roma confirmou neste domingo (17) a morte de uma criança italiana de nove anos no atentado da última sexta-feira (17) contra um hotel de Uagadugu, capital de Burkina Fasso, cometido pela Al Qaeda.

Segundo a Farnesina, o menino se chamava Michel Santomenna e era filho de uma ucraniana que também perdeu a vida na ação terrorista. Seu pai, o italiano Gaetano Santomenna, é proprietário do Cappuccino Café - restaurante que também foi atacado pelos extremistas -, mas sobreviveu.

Uma tia ucraniana de Michel também morreu no atentado. "A Itália continuará suas próprias ações para que a comunidade internacional permaneça unida e intensifique os esforços para enfrentar a ameaça do terrorismo", diz uma nota do Ministério das Relações Exteriores.

Ao todo, 29 pessoas morreram no ataque, que a Al Qaeda no Magreb Islâmico (AQMI) diz ter sido uma "vingança" contra a França pelas suas operações antiterroristas na região do Sahel.

Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.
Saiba mais