Quarteto de Diálogo Nacional da Tunísia vence Nobel da Paz

Grupo trabalha na transição democrática do país

O Quarteto de Diálogo Nacional da Tunísia venceu o Prêmio Nobel da Paz de 2015 nesta sexta-feira, dia 9, por "sua decisiva contribuição para a construção de uma democracia pluralista no país", apontou o comitê organizador da premiação.    

O grupo é formado pelo sindicato União Geral Tunisiana do Trabalho (UGTT), a União Tunisiana da Indústria, o patronato Comércio e do Artesanato (Utica), a Ordem Nacional dos Advogados da Tunísia (ONAT) e a Liga Tunisiana dos Direitos Humanos (LTDH).    

Criado em 2013, quando o processo de "democratização estava prestes a entrar em colapso sob o peso de assassinatos políticos e agitação" da população, o quarteto "estabeleceu uma alternativa, um processo político pacífico em um período no qual o país estava à beira de uma guerra civil", acrescentou o comitê.    Ainda em nota, a direção do Nobel apontou que o quarteto foi "instrumental ao permitir que a Tunísia, em um espaço de alguns anos, estabelecesse um sistema de governo constitucional." Revoluções - A Tunísia foi o berço da Primavera Árabe, movimento que teve repercussões políticas em países do norte africano e do Oriente Médio.    

Após a queda do ditador Ben Ali, no cargo desde 1987, o país quase entrou em uma guerra civil até que o quarteto tomou rédea do processo de redemocratização.    

Segundo a representante de política externa da União Europeia (UE), a italiana Federica Mogherini, "o Nobel para o Quarteto do Diálogo Nacional tunisiano mostra o caminho para resolver as crises na região: unidade nacional e democracia".    

Histórico - No ano passado, venceram a premiação o indiano Kailash Satyarthi e a jovem paquistanesa Malala Yousafzay por "sua luta contra a supressão das crianças e jovens e pelo direito de todos à educação"