EUA mudarão treinamento de rebeldes na Síria

Grupo é treinado para combater jihadistas na região

O secretário de Defesa norte-americano, Ashton Carter, disse que Washington prevê mudanças no programa de treinamento dos rebeldes sírios que lutam contra os jihadistas do Estado Islâmico (EI, ex-Isis), seguindo o exemplo da colaboração com os curdos.

    "O trabalho que temos feito com os curdos no norte da Síria é o exemplo de uma aproximação eficaz", afirmou Carter, em encontro com seu homólogo britânico Michael Fallon, em Londres.

    Ainda de acordo com o norte-americano, foi "por engano" que quatro mísseis russos lançados contra a Síria caíram no Irã nesta semana.

    Tanto Carter quanto Fallon, no entanto, consideram "ilógica" a intervenção de Moscou no Oriente Médio, o que, segundo eles, "piora uma situação já grave".

    França - O ministro de Defesa da França, Jean-Yves Le Drian, anunciou que as forças aéreas de seu país realizaram a segunda série de ataques contra campo de treinamento do EI.

    Le Drian explicou que a ofensiva foi realizada na noite passada em Raqqa, no leste da Síria.

    "Os alvos foram atingidos. Haverá outras ações contra locais onde o EI organiza suas ameaças", disse, em entrevista à rádio "Europe 1".

    Os caças Rafale atacaram alvos dos grupos jihadista na Síria pela primeira vez no final do mês passado. (ANSA)