Pinochet ordenou assassinato de chanceler, indicam documentos dos EUA

O assassinato do ex-chanceler chileno Orlando Letelier em Washington, em 1976, foi ordenado pelo ex-ditador chileno Augusto Pinochet, de acordo com documentos secretos do governo americano que tiveram o sigilo removido recentemente, afirmou nesta quinta-feira (8) o filho do diplomata.

Cerca de mil documentos oficiais, entre os quais constam provas concretas da participação de Pinochet no homicídio, foram entregues pelo secretário de Estado dos EUA, John Kerry, para a presidente do Chile, Michelle Bachelet, na conferência "Nosso Oceano", realizada nesta semana no Chile.

"A novidade que apareceu é a prova que não tínhamos antes de que foi Pinochet quem deu a ordem. Nós tínhamos a convicção política, mas não tínhamos os antecedentes jurídicos para sustentá-la", disse Juan Pablo Letelier, filho do ex-chanceler e atual senador do Partido Socialista chileno.

Orlando Letelier del Solar foi assassinado em 21 de setembro de 1976, em Washington, na explosão de uma bomba colocada em seu carro. Ele foi chanceler do governo socialista deposto do presidente chileno Salvador Allende e era opositor político de Augusto Pinochet.

por Pedro Leite