Mineração ameaça cidade da China, diz The International New York Times

O mesmo carvão que construiu a cidade de Fushun pode destrui-la

A matéria do jornal The International New York Times, alerta que as minas de carvão em Fushun, na China, estão diminuindo, e em decorrência de décadas  de trabalho de mineração destrutiva, estão ocorrendo deslizamentos de terra frequentes que podem afundar a cidade. Ha pouco tempo aconteceu um acidente de carro na estrada próxima a região de mineração. 

"A estrada era segura, mas com seguidas tempestades e muitos  deslizamentos modificaram sua estrutura ", disse Cui Yuan, 44 anos, chefe do Fushun Geological e da Estação de Monitoramento Ambiental, responsável por monitorar os deslizamentos de terra, que deixaram a estrada repleta de restos de carvão. 

Segundo o jornalista Yifu Dong, alguns dos mineradores da Fushun, a maior mina de carvão a céu aberto na Ásia, não foram a mineração de carvão,  porque foram limpara as estradas bloqueadas por deslizamentos de terra e apagar os  incêndios de carvão, que irrompem espontaneamente quando o carvão é enterrado e exposto ao ar pela primeira vez em milhões de anos. A cidade de Fushun, conhecida como uma das capitais de carvão da China, está lutando. Dois terços dos seus cerca de 1,5 bilhões de toneladas de carvão foi minado, e hoje o mineral que ajuda a transformar a cidade em uma metrópole em expansão de 2,2 milhões, com ameaça de ser soterrada.

"Fushun produz menos de três milhões de toneladas de carvão por ano, uma queda de  18,3 milhões de toneladas em 1962, seu auge. As cinco principais minas de carvão da região podem fechar até 2030", disse Cui.