NSA espionou governo do Japão e empresas, diz WikiLeaks

Entre os alvos, estariam o Banco Central e a Mitsubish

A Agência de Segurança Nacional (NSA) dos Estados Unidos espionou o governo do Japão e funcionários de empresas locais, de acordo com uma denúncia feita nesta sexta-feira (31) pelo site WikiLeaks. Novos arquivos publicados sob o título "Target Tokyo" apontam que cerca de 35 alvos foram espionados, entre eles o gabinete presidencial japonês, o Banco Central (BoJ), os Ministérios da Economia, das Finanças, Comércio e Indústria, além de executivos da divisão de gás natural da Mitsubish e da de petróleo da Mitsui. Entre os documentos relevados, há quatro considerados "sigilosos" e os quais mostram discussões internas relacionadas a comércio internacional e mudanças climáticas. Um deles foi marcado como "REL TO USA, AUS, CAN, GBR, NZL", o que formalmente quer dizer "autorizado para ser compartilhado com os parceiros de inteligência dos EUA: Austrália, Canadá, Grã-Bretanha e Nova Zelândia". As interceptações teriam ocorrido desde a primeira gestão do atual governo, de Shinzo Abe, entre setembro de 2006 e setembro de 2007. De acordo com o fundador do WikiLeaks, o australiano Julian Assange, os documentos demonstram "como o governo japonês estava preocupado em não repassar informações aos EUA para evitar uma crise nas propostas sobre mudanças climáticas ou nas relações diplomáticas". Recentemente, o WikiLeaks divulgou que os EUA espionaram outros aliados, como Alemanha e França.