Londres nega visto de 6 meses ao artista Ai Weiwei

O governo britânico negou um visto de seis meses ao artista e dissidente chinês Ai Weiwei, que recentemente teve seu passaporte restituído pelas autoridades de Pequim. Em uma carta na qual recusa a solicitação e concede uma permissão de apenas 20 dias, a Embaixada do Reino Unido no país asiático diz que o ativista não contou em seu pedido que já havia sofrido uma "condenação criminal", o que acabou motivando a decisão.    

No entanto, apesar de ter ficado preso por 81 dias em 2011 por conta de uma denúncia de fraude fiscal, Weiwei nunca foi acusado formalmente e muito menos sentenciado. A missiva da representação diplomática britânica foi divulgada pelo próprio artista em sua conta no Instagram.    

Em outro post, ele explica que tentou em diversas ocasiões esclarecer o equívoco, mas sem sucesso. Londres receberá no próximo mês de setembro uma exposição de trabalhos do chinês, por isso ele gostaria de ficar mais tempo na cidade.    

Seu passaporte permaneceu confiscado por quatro anos, período durante o qual o dissidente não conseguiu deixar a China. Nesta quinta-feira (30), ele desembarcou em Munique, na Alemanha, para visitar seu filho, que vive há seis anos em Berlim.