Índia enforca autor intelectual de atentados em Mumbai

A Índia enforcou nesta quinta-feira (30/7) Yakub Memon, autor intelectual da série de atentados coordenados que mataram 257 pessoas na cidade de Mumbai, em 1993.

Após o presidente indiano, Pranab Mukherjee, rejeitar o pedido de suspensão da execução, Memon foi enforcado na prisão de Nagpur, no estado de Maharashtra.

Os atentados de 12 de março de 1993 atingiram a Bolsa de Mumbai (antiga Bombaim), os escritórios da Air India e um hotel de luxo da capital econômica da Índia, entre outros alvos.

Os ataques foram atribuídos à comunidade muçulmana, que supostamente queria se vingar das mortes de muçulmanos nos confrontos religiosos ocorridos meses antes.

Yakub Memon, que fazia parte de um grupo de 11 condenados pelos atentados, foi o único punido com a pena de morte. Os demais pegaram prisão perpétua.

Profissional de contabilidade, Memom proclamou sua inocência durante todo o processo, o que gerou simpatia entre as associações de defesa dos direitos humanos e de um ex-juiz da Suprema Corte.

O Supremo rejeitou, na semana passada, a última apelação apresentada para impedir a execução de Memom, que chegou a fugir para o Paquistão, mas depois se entregou às autoridades.

Entre os outros supostos autores intelectuais do ataque estão Tiger, irmão de Memon, e o líder de uma quadrilha local, Dawood Ibrahim, ambos foragidos desde 1993.