Suprema Corte dos EUA legaliza casamento gay

"Hoje é um grande passo em nossa marcha em direção à igualdade", diz Obama

A Suprema Corte dos Estados Unidos aprovou por cinco votos a quatro, nesta sexta-feira (26/6) o direito de casais do mesmo sexo se casarem. Com a votação histórica, o casamento homoafetivo será legalizado em todos os 50 estados norte-americanos. Isso significa que a união não poderá ser barrada. O presidente americano, Barack Obama, saudou a decisão da Justiça em sua conta no Twitter.

"Hoje é um grande passo em nossa marcha em direção à igualdade. Os casais gays e lésbicas agora têm o direito de se casar, como qualquer outro. #Oamorvence"", escreveu Obama na rede social. 

Centenas de pessoas se reuniram nos arredores da Suprema Corte, no centro de Washington, para comemorar a decisão dos juízes. A pré-candidata democrata à presidência dos EUA, Hillary Clinton, também celebrou a legalização em seu perfil na rede social.

>> Famosos celebram legalização do casamento gay nos EUA

O tribunal afirmou que "o casamento tem sido uma instituição central na sociedade desde os tempos antigos, mas ele não está isolado das evoluções no direito e na sociedade". Ao excluir casais do mesmo sexo do casamento, explicou, nega-se a eles "a constelação de benefícios que os estados relacionaram ao casamento".

"O casamento encarna um amor que pode perdurar até mesmo após a morte", acrescentou o tribunal, complementando que "estaria equivocado dizer que estes homens e mulheres desrespeitam a ideia de casamento... Eles pedem direitos iguais aos olhos da lei. A Constituição lhes concede este direito."

A decisão não entrará em vigor imediatamente porque a Suprema Corte concede ao litigante que perdeu o caso aproximadamente três semanas para solicitar uma reconsideração.