Ex-vice da Fifa vai à festa após deixar prisão de ambulância

Uma das imagens mais simbólicas do escândalo que abalou o futebol mundial nesta semana foi a do dirigente Jack Warner deixando a prisão em Trinidad e Tobago, na tarde de quinta-feira. O ex-vice-presidente da Fifa, que foi detido na operação liderada pelo FBI, saiu da penitenciária de ambulância, alegando exaustão. Mas será que foi isto, mesmo, o que aconteceu?

A pergunta se justifica por imagens feitas pela agência Reuters ainda nesta quinta. Elas mostram o dirigente de 72 anos um tanto quanto ativo em uma festa organizada pelo Partido Liberal Independente, em Chagaunas. Nem parecia que, horas antes, havia deixado a prisão em uma ambulância...

O ex-vice presidente da entidade máxima do futebol mundial também dirigiu a Confederação das Américas do Norte, Central e do Caribe (Concacaf) entre 1990 e 2011. Antes de ter se entregado às autoridades em Trinidad e Tobago, onde reside, Warner declarou ser inocente. “Por que apenas os funcionários em países do terceiro mundo são acusados?”, insinuou.

Atualmente, a Concacaf está sendo presidida por Alfredo Hawit, que foi oficializado no cargo na quinta, já que a pessoa que vinha desempenhando a função, Jeffrey Webb, também está entre os presos em Zurique.

Enquanto Jack Warner foi libertado, os dirigentes detidos na Suíça continuam na prisão, entre eles o ex-presidente da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), José Maria Marin.