Grã-Bretanha pode sofrer ataque químico do Estado Islâmico

Denúncia foi feita pelo jornal 'The Times'

A Grã-Bretanha enfrenta um risco crescente de atentado químico organizado por jihadistas do grupo extremista Estado Islâmico (EI, ex-Isis), denunciou o jornal "The Times" nesta segunda-feira (25). De acordo com a publicação, que cita especialistas em segurança, o ataque pode ser cometido por combatentes britânicos do EI que voltam ao Reino Unido após passarem uma temporada lutando na Síria ou no Iraque. 

O ataque químico poderia envolver bombas de cloro, uma substância facilmente encontrada no território britânico. Segundo o jornal, agentes da polícia antiterrorismo estão trabalhando para conter a "ameaça crescente" de um atentado químico. Desde agosto de 2014, quando as autoridades começaram a suspeitar de que um dos principais executores do EI seria originário de Londres, foram reforçadas as medidas de segurança no país. Em março, a identidade do executor, cujo apelido era "jihadista John", foi revelada. Mohamed Emwazi, de 27 anos, nasceu em Londres e é graduado em Ciências da Computação. (ANSA)