Estado Islâmico chama Michelle Obama de prostituta

Em mais uma provocação contra o governo norte-americano, os jihadistas do Estado Islâmico (EI, ex-Isis) chamaram a primeira-dama, Michelle Obama, de "prostituta".

"Michelle Obama é uma prostituta", é a mensagem de um artigo publicado na revista Dabiq, que faz propaganda do grupo sunita.

O texto, que tem como título "Mulheres Escravas ou Prostitutas", foi escrito por uma "esposa da jihad" chamada Umm Sumayyah Al-Muhajirah, que defende o sequestro de jovens para serem usadas como escravas sexuais dos jihadistas.

A autora do artigo é noiva de um jihadista que fez uma menina yazidi de escrava sexual. Segundo ela, a prática não é estupro e foi inspirada pelo próprio profeta Maomé.

Conquista

Na semana passada, o EI anunciou a conquista da cidade síria de Palmira, considerada patrimônio histórico pela Unesco. De acordo com as autoridades locais, ao menos 400 civis, a maioria mulheres e crianças, foram mortos pelo grupo.