Uruguai prepara despedida para José Mujica da Presidência

Os últimos dias de José “Pepe” Mujica  na Presidência do Uruguai estão movimentando as redes sociais no país. Ele já disse que não quer homenagens, já que “é necessário olhar para a frente e não para trás”, mas não teve jeito: o último ato protocolar de “Pepe” como presidente está sendo esperado como um evento de despedida que, até agora, conta com 12 mil confirmações asseguradas na internet.

Uma das organizadoras do grupo “Despedida e Homenagem ao Presidente Mujica” no Facebook, a uruguaia Celi Penino, de 55 anos, disse que o pedido de Mujica caiu “como um balde de água fria” no começo, mas depois serviu para que "se libertassem" de responsabilidades, já que jamais pensaram que iriam reunir tanta gente pelas redes. 

No início, a homenagem estava prevista para 28 de fevereiro, último dia de Mujica como presidente, mas depois de um pronunciamento do mandatário, em janeiro, em que dizia ser mais importante “ajudar a empurrar o que está por vir” como “o mais profundo reconhecimento ao que vai embora, porque o importante é o futuro”, os admiradores se reorganizaram e decidiram não fazer um evento próprio, mas sim participar da cerimônia oficial de arriamento da bandeira. Trata-se de um ato obrigatório de encerramento dos períodos presidenciais no Uruguai, que acontece no dia 27 de fevereiro, às 19h, na Plaza Independência, a principal praça de Montevidéu, na entrada do centro histórico da capital.

Também há grupos se organizando no Paraguai e no Peru para ir a Montevidéu prestar homenagens a Mujica. “Será uma despedida inesquecível ao melhor presidente de todos os tempos”, classifica a página do comitê de base Solar de Artigas, em Assunção.

Apesar de desativar a homenagem oficial, da qual fariam parte, segundo noticiou a imprensa local, shows de artistas como Gilberto Gil e Caetano Veloso - que, no entanto, negaram ao Terra haver sido convidados para qualquer tipo de espetáculo no Uruguai nessa data -, Mujica convidou os cidadãos a “acompanhá-lo” na cerimônia oficial do arriamento. “Trata-se de uma rotina, e não de uma invenção nossa”, disse em seu pronunciamento de rádio semanal. “Vamos estar lá para dar um alô, um abraço, um até sempre aos compatriotas que desejem nos acompanhar nesse momento. Lá estarei com profundo sentido republicano e com proverbial simplicidade, porque é a melhor maneira de homenagear a nação”.

Foi a senha para que os admiradores voltassem a se entusiasmar nas redes para ocupar a praça montevideana. Além da reunião massiva no centro, os internautas também estão impulsionando a doação de dinheiro para o Plano Juntos, programa de construção de moradias ao qual Mujica cedeu 90% do seu salário ao longo da sua Presidência.

Presença de Dilma 

Dilma Rousseff chegará ao Uruguai no dia 28 de fevereiro para a inauguração do parque eólico Artilleros (construído entre Brasil e Uruguai no departamento uruguaio de Colonia a um custo de US$ 107 milhões) ao lado do mandatário. No dia seguinte, em 1° de março, está confirmada a participação da presidente brasileira na posse de Tabaré Vázquez, eleito em 30 de novembro.