Edição histórica da Charlie Hebdo chega ao Brasil

Mais de 5 milhões de exemplares foram vendidos após ataque

Após atraso devido a problemas logísticos, a edição histórica do jornal "Charlie Hebdo", a primeira após o atentado que deixou 12 mortos na redação da publicação em Paris, chegou ao Brasil nesta quinta-feira, dia 29.

    De acordo com a distribuidora, 10 mil edições foram disponibilizadas e serão vendidas em São Paulo, Rio de Janeiro e outras 15 capitais.

    A edição que traz o profeta Maomé na capa dizendo "Eu sou Charlie" -- frase popularizada em protestos pela liberdade de expressão desencadeados por episódio -- foi traduzida para 16 idiomas (apesar de chegar ao Brasil na sua versão em francês).

    Ela foi lançada na França uma semana após o atentado, em 14 de janeiro, com uma tiragem inicial de 1 milhão de exemplares, que ficaram esgotados em poucas horas. Até o momento, 5 milhões de unidades já foram vendidas somente no país. Um recorde para o pequeno satírico, que costuma vender cerca de 60 mil cópias por mês. (ANSA)