Procuradoria italiana recusa encerrar pena de Berlusconi

O escritório de execução penal da Procuradoria de Milão deu nesta terça-feira (27) parecer negativo ao pedido do ex-primeiro-ministro da Itália Silvio Berlusconi para ser liberado antecipadamente do trabalho que faz em um asilo, fruto de sua condenação por fraude fiscal.    

O ex-premier deve realizar serviços sociais até o próximo mês de maio, mas ele queria que a pena terminasse com 45 dias de antecedência. Segundo a solicitação apresentada por seus advogados no início de janeiro, a presença de Berlusconi em um asilo "tem enriquecido" seus "trabalhos de interesse público" e o fazem refletir sobre "a condição dos idosos".    

Contudo, o parecer da Procuradoria não é vinculante e não precisa ser seguido pelo juiz que julgará o pedido. A sentença de um ano de serviços sociais está sendo cumprida por Berlusconi em um asilo de Milão, onde ele acompanha doentes com mal de Alzheimer.