Líder da esquerda, Alexis Tsipras assume como primeiro-ministro da Grécia

O líder do partido de esquerda radical Syriza, Alexis Tsipras, de 40 anos, prestou juramento nesta segunda-feira (26) no cargo de primeiro-ministro da Grécia. A posse só foi possível depois que o Syriza fechou uma aliança com o pequeno partido nacionalista Gregos Independentes, obtendo assim a maioria absoluta do Parlamento.

Nas eleições legislativas deste domingo, o Syriza conquistou 149 assentos, de um total de 300. O Gregos Independentes obteve 13 cadeiras.

Em seu primeiro discurso após a divulgação dos resultados, Alexis Tsipras disse que a Grécia "deixou para trás a desastrosa austeridade", e prometeu negociar com os credores do país uma solução justa, viável, duradoura, que beneficie a todos. "Hoje o povo grego fez história. O povo grego deu uma ordem clara: a Grécia vira a página, abandona a austeridade, a catástrofe, deixa o medo para trás, anula o acordo de austeridade com a troika, que é passado", disse o líder político. 

A Coalizão de Esquerda Radical defende a renegociação da dívida de 321 bilhões de euros com a Comissão Europeia, o Banco Central Europeu (BCE) e o Fundo Monetário Internacional (FMI).

Reações

Os mercados europeus e asiáticos reagiram com agitação nesta segunda-feira (26) aos resultados eleitorais gregos. A Bolsa de Milão registrou queda de 1,14%, enquanto a Bolsa de Tóquio fechou em baixa de 0,25%. O presidente do Parlamento Europeu, Martin Schulz, garantiu que o novo governo grego será intimado a cumprir seus acordos com a UE. "Tsipras será tratado como qualquer outro chefe de Governo que venceu eleições", afirmou. "Entre o que é dito em campanha eleitoral e o que é realmente aplicável há grandes diferenças", ressaltou Schulz.