Grécia: Tsipras faz aliança com direita e será nomeado primeiro- ministro

Partido do líder da esquerda radical venceu eleições no domingo

Alexis Tsipras, líder do partido de esquerda radical Syriza, será nomeado primeiro-ministro da Grécia às 14h (12h de Brasília). Após uma aliança com o pequeno partido de direita nacionalista Gregos Independentes, que obteve 13 assentos no Parlamento, o Syriza conseguiu 149 das 300 cadeiras e obteve a maioria absoluta 

"Vamos dar um voto de confiança ao novo primeiro-ministro, Alexis Tsipras", declarou Panos Kammenos, depois de se reunir com o líder do Syriza. Antes mesmo das eleições, o Gregos Independentes já haviam indicado sua intenção de se aliar com o Syriza para colocar fim às medidas de austeridade.

O Syriza se converteu no primeiro partido antiausteridade a alcançar o governo na Europa e Tsipras será o primeiro-ministro mais jovem da Grécia em um século e meio.

Contrária à austeridade, esquerda vence eleições na Grécia 

O partido de extrema esquerda Syriza venceu as eleições de domingo (25) na Grécia com 36% do apoio do eleitorado. A Coalizão de Esquerda Radical (Syriza) defende a renegociação da dívida de 321 bilhões de euros com a Comissão Europeia, o Banco Central Europeu (BCE) e o Fundo Monetário Internacional (FMI).

De acordo com a apuração, as outras legendas, como a Nova Democracia, a Aurora Dourada e o To Potami ficaram com 27%, 6,2% e 6% dos votos, respectivamente. Já o Partido Comunista conquistou 5,47%, e os independentes, 4,75%.

Domingo à noite, Tsipras fez um pronunciamento de vitória diante de milhares de apoiadores na capital do país, Atenas. "Hoje o povo grego fez história. O povo grego deu uma ordem uma clara: a Grécia vira a página, abandona a austeridade, a catástrofe, deixa o medo para trás, anula o acordo de austeridade com a troika, que é passado", disse o líder político. O juramento do novo governo deve ocorrer terça ou quarta-feira. 

Reações - Os mercados europeus e asiáticos reagiram com agitação nesta segunda-feira (26) aos resultados eleitorais gregos. A Bolsa de Milão registrou queda de 1,14%, enquanto a Bolsa de Tóquio fechou em baixa de 0,25%. O presidente do Parlamento Europeu, Martin Schulz, garantiu que o novo governo grego será intimado a cumprir seus acordos com a UE. "Tsipras será tratado como qualquer outro chefe de Governo que venceu eleições", afirmou. "Entre o que é dito em campanha eleitoral e o que é realmente aplicável há grandes diferenças", ressaltou Schulz. 

Com Ansa