Esquerda é favorita nas eleições legislativas da Grécia

As eleições legislativas antecipadas na Grécia começaram hoje (25), às 7h (3h no horário de Brasília), prevendo disputa acirrada entre o atual chefe de governo, o conservador Antonis Samaras, e o presidente da coalizão de esquerda Syriza, Alexis Tsipras.

Quase 10 milhões de cidadãos escolherão, de um total de 22 partidos e coligações, quem deve ultrapassar a barreira mínima de 3% para conseguir representação parlamentar.

De acordo com as últimas pesquisas, Syriza tem vantagem de três pontos sobre Nea Dimokratia, do Partido Nova Democracia, de Samaras.

Ainda que a vitória da esquerda esteja quase garantida, não está claro se o partido terá maioria absoluta para governar ou se será forçado a procurar parceiro de coligação, às custas de uma moderação política.

Tsipras anunciou que, caso seja vencedor, negociará a dívida internacional. Já Samaras acredita que a Grécia não pode causar embates com a União Europeia.

Ao mesmo tempo, vários partidos do país lutam pelo terceiro lugar, de modo a ter a possibilidade de governar com o vencedor. Lidera esta lista To Potami, partido pró-europeu, situado no centro do espectro político.

Também lutam por vagas no parlamento o partido racista e xenófobo Aurora Dourada (XA), Partido Comunista da Grécia (KKE), Movimento Socialista Pan-Helênico (PASOK), Movimento dos Socialistas Democratas (KIDISO) es Gregos Independentes (AE).

As assembleias de voto fecharão às 19h (15h no Brasil). Os primeiros resultados oficiais serão divulgados duas horas depois.